Lab Hormon

Coronavírus | COVID-19 – Perguntas Frequentes (FAQ)

1. O que é o Coronavírus?

Os Coronavírus pertencem a uma família de vírus causadores de infecções respiratórias. Isolados pela primeira vez em 1937, no entanto, somente em 1965 foram descritos como coronavírus, em decorrência da aparência de coroa à microscopia. Outros betacoronavírus já causaram surtos como a Síndrome Respiratória Aguda Grave (SARS), e a Síndrome Respiratória do Oriente Médio (MERS).

No final de 2019, um novo coronavírus foi identificado como a causa de um conjunto de casos de pneumonia em Wuhan, uma cidade na província de Hubei, na China. O vírus causador do COVID-19 é designado Coronavírus da Síndrome Respiratória Aguda Grave 2 (SARS-CoV-2); anteriormente, foi referido como 2019-nCoV.

2. O que é a COVID-19?

A COVID-19 é o nome da doença causada pelo novo coronavírus SARS-CoV-2, que apresenta um quadro clínico que varia de infecções assintomáticas a quadros respiratórios graves. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), a maioria dos pacientes com COVID-19 (cerca de 80%) podem ser assintomáticos e cerca de 20% dos casos podem requerer atendimento hospitalar por apresentarem dificuldade respiratória e, desses casos, aproximadamente 5% podem necessitar de auxílio para o tratamento de insuficiência respiratória, como suporte ventilatório, os chamados respiradores.

3. Quais são os sintomas da COVID-19?

Os sintomas da COVID-19 podem variar de um simples resfriado até uma pneumonia severa. Sendo os sintomas mais comuns:

  • Tosse
  • Febre
  • Coriza
  • Dor de garganta
  • Dificuldade para respirar

Ao longo da pandemia e com a rápida propagação do vírus, tem surgido diversos outros sinais associados à enfermidade, como:

  • Tremores e calafrios persistentes
  • Dor muscular
  • Dor de cabeça
  • Perda recente de olfato ou paladar
  • Distúrbios gastrointestinais
  • Conjuntivite

4. Como me prevenir do Coronavírus?

Em casa

  • Lave com frequência as mãos até a altura dos punhos, com água e sabão, ou então higienize com álcool em gel 70%;
  • Ao tossir ou espirrar, cubra nariz e boca com lenço ou com o braço, e não com as mãos;
  • Evite tocar olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas;
  • Ao tocar, lave sempre as mãos como já indicado;
  • Higienize com frequência o celular e os brinquedos das crianças;
  • Não compartilhe objetos de uso pessoal, como talheres, toalhas, pratos e copos;
  • Mantenha os ambientes limpos e bem ventilados;
  • Se estiver doente, evite contato físico com outras pessoas, principalmente idosos e doentes crônicos, e fique em casa até melhorar;
  • Durma bem e tenha uma alimentação saudável.

Ao receber produtos em casa

  • Mantenha a distância mínima de um metro do entregador;
  • Receba seus pedidos com as mãos higienizadas;
  • Descarte a embalagem;
  • Higienize o produto;
  • Higienize as mãos com água e sabão para finalizar;
  • Utilize máscaras caseiras ou artesanais feitas de tecido em situações de saída de sua residência.

Ao comprar produtos no Supermercado

  • Ao chegar das compras é preciso lavar bem as mãos, tirar as roupas e sapatos usados para ida ao supermercado;
  • Com um pano com álcool em gel 70% limpe alimentos embalados industrializados;
  • Produtos em recipientes bem vedados podem ser lavados com água e sabão;
  • Hortaliças, frutas, verduras e legumes devem ser colocados imersos em uma solução com água sanitária (uma colher de sopa para um litro de água, respeitando a proporção de 1 por 1, se for preciso uma quantidade maior), durante 15 minutos, e após esse tempo lavar novamente em água corrente e deixar secar naturalmente;
  • Carnes, peixes e frango: deve-se descartar as embalagens no lixo. Lavar a mão com água e sabão e colocar o produto em outro recipiente no qual possa ser guardado no freezer ou geladeira.

Nas ruas

O recomendado é restringir a saída de casa às situações necessárias, de acordo com a fase da epidemia.

  • Use máscara;
  • Mantenha uma distância mínima de cerca de 2 metros de qualquer pessoa;
  • Evite abraços, beijos e apertos de mãos;
  • Adote as medidas de higienização das mãos com álcool gel a 70%;
  • Não levar as mãos ao rosto;
  • Adote a etiqueta respiratória (ao tossir ou espirrar cobrir boca e nariz com o braço na dobra do cotovelo).

Outros cuidados importantes

  • Manter em dia o cartão de vacinação;
  • Vacinar-se contra a Gripe;
  • Não deixar de tomar remédios controlados e realizar exames recomendados por seu médico assistente.

5. Como o distanciamento social colabora com o combate à COVID-19?

O objetivo do distanciamento é reduzir a exposição das pessoas ao vírus e, assim, aos riscos de contágio e proliferação da infecção. Como o vírus se propaga rapidamente e o contágio se dá facilmente, uma das principais maneiras de conter a disseminação é evitar a aglomeração de pessoas e o contato físico entre elas. O número de pessoas infectadas tende a ser menor, quando não há contato e interação física entre a população. Assim, as pessoas só devem sair de casa se necessário e observando as medidas de segurança já amplamente divulgadas, principalmente: utilizar máscara, higienizar as mãos com álcool 70% e evitar aglomerações. O distanciamento social praticado por todos que puderem ficar em suas casas é a maneira mais eficaz para se combater e controlar o Novo Coronavírus.

6. Posso viajar durante a pandemia? É seguro?

No momento, o mais seguro e recomendado é adiar as viagens que podem ser adiadas e ficar em casa. Como muitas pessoas são assintomáticas, elas podem viajar infectadas, contaminando outras pessoas e propagando a doença. Se sua viagem for absolutamente necessária, os especialistas recomendam que você viaje sozinho e redobrando os cuidados como: usar máscara, evitar aglomerações e lavar ou higienizar as mãos sempre que possível.

7. Como o Coronavírus é transmitido?

A transmissão acontece de uma pessoa doente para outra ou por contato próximo, por meio de:

  • Toque do aperto de mão
  • Gotículas de saliva
  • Espirro
  • Tosse
  • Catarro
  • Objetos ou superfícies contaminadas, como: celulares, mesas, maçanetas, brinquedos, teclados de computador, etc.

8. Dispositivos e equipamentos como celulares também podem ser fonte de contaminação do Novo Coronavírus?

Dispositivos móveis como celulares podem acumular, além dos vírus, também bactérias e fungos, pois estão sempre em contato com as mãos, boca, nariz e olhos. As áreas de mucosas do nosso corpo podem transmitir o Novo Coronavírus e contaminar aparelhos celulares, máquinas de cartão de crédito e outros dispositivos e equipamentos. Assim, é fundamental manter a higiene desses aparelhos. Especialistas recomendam que eles estejam livres de capas, acessórios ou adesivos que atrapalhem a sua higienização que pode ser feita com um papel toalha ou pano macio, umedecido com álcool isopropílico 70%, que é específico para produtos eletrônicos.

9. Estou grávida e testei positivo para a COVID-19. Meu bebê corre risco de se contaminar no parto ou na amamentação?

Até o momento não há registro de contaminação no parto. Os casos de recém-nascidos com mães infectadas que se tem registro, não foi detectado contágio pelo vírus, nem no feto, nem no líquido amniótico. No entanto, como o contágio se dá pelo contato com secreções infectadas é fundamental uma higiene adequada antes do contato com o bebê. Dessa maneira, se reduz muito os riscos de transmissão. Por se tratar de uma doença nova e não muito conhecida até o momento, ainda não há registros de transmissão do Novo Coronavírus por meio da amamentação.

10. Animais de estimação também contraem e transmitem o novo Coronavírus?

Os estudos existentes até hoje já comprovaram a transmissão para cães, gatos, bovinos, camelos e morcegos, quando os mesmos foram expostos repetidamente a uma dose elevada do vírus. No entanto, nenhum estudo ainda apresentou evidências científicas de que o Novo Coronavírus seja transmitido de animais para humanos, nem para outros animais da mesma espécie.

11. Existem grupo de risco para a COVID-19? Quais são eles?

Os grupos de risco, ou seja, aqueles mais propensos às complicações decorrentes da infecção provocada pelo Novo Coronavírus são idosos acima de 60 anos, as grávidas, os doentes crônicos como os asmáticos, diabéticos e hipertensos. A OMS, também classifica como de risco os portadores de doença renal crônica, imunossupressão e enfermidades patológicas.

12. Se eu não estiver em nenhum grupo de risco, ainda assim eu tenho chance de ter complicações?

Normalmente os portadores da COVID-19 desenvolvem sintomas leves ou são assintomáticos, na grande maioria dos casos, isso ocorre em pessoas jovens. No entanto, isso não quer dizer que os jovens sem fatores de risco ou comorbidades não tenham chances de desenvolver um quadro mais grave e agudo de sintomas. Aqui no Brasil, segundo os registros do Ministério da Saúde, a maior incidência está em pacientes na faixa entre 30 e 39 anos. Infelizmente, não é possível prever como organismos de cada paciente responderá à infecção. Assim, a prevenção ainda é a melhor saída.

13. Já existe uma vacina para o novo Coronavírus?

Infelizmente ainda não há uma vacina eficaz contra o Novo Coronavírus. No entanto, diversos cientistas estão realizando pesquisa no momento, em busca da criação de uma vacina.

14. A vacina contra a Gripe funciona também contra o Novo Coronavírus?

Não. A vacina contra a Gripe não protege da infecção pelo Novo Coronavírus. No entanto, ela é muito importante para proteger de outras doenças respiratórias e até mesmo de comorbidades, em caso de pacientes da COVID-19. Além disso, a imunização contra o Influenza auxilia os profissionais de saúde no diagnóstico diferencial (por exclusão) para COVID-19, uma vez que os sintomas são semelhantes.

15. Como é feito o diagnóstico da COVID-19?

O diagnóstico da COVID-19 é realizado pelo profissional de saúde, que deve avaliar a presença de critérios clínicos (sintomas e sinais), epidemiológicos (contatos) e exames de laboratório.

16. Quais exames detectam a COVID-19?

Atualmente os exames mais precisos disponíveis são:

  • RT-PCR em tempo real: usado para diagnóstico, avaliando se o paciente está com infecção pelo vírus naquele momento. O exame é feito em material coletado da região posterior do nariz e garganta e por meio de técnicas de biologia molecular, detecta o material genético do vírus na amostra do paciente. O exame é o mais indicado para pacientes com suspeita da doença, segundo a OMS e pode detectar a presença do vírus, com máxima sensibilidade entre o 3º e 10º dias de sintomas, podendo detectar eventualmente por maior tempo. O método é praticamente indolor e para sua realização não é preciso nenhum tipo de preparo. Os exames pela metodologia PCR-RT sãos os indicados para o diagnóstico pela Organização Mundial da Saúde (OMS), a Sociedade Brasileira de Patologia Clínica e Medicina Laboratorial (SBPC/ML) e a Sociedade Brasileira de Análises Clínicas (SBAC). É o chamado teste “padrão ouro”.
  • Sorologia: usado para avaliar se o paciente já teve contato com o SARS-COV-2. São testes imunológicos capazes de detectar os níveis de anticorpos IgA, IgM e IgG em amostra de sangue do paciente. O IgA e IgM são produzidos pelo organismo nas fases iniciais da doença. Os exames são aconselhados para pacientes com sintomas a partir do 7º dia, tempo que leva para os anticorpos começarem a ser produzidos. O IgG pode ser detectado com maior sensibilidade a partir do 14º dia após a infecção. Ressaltamos que um resultado negativo NÃO exclui a presença da doença. Os exames de sorologia são indicados como auxiliar no diagnóstico de pessoas com suspeita de COVID-19 ou como marcador de exposição prévia ao vírus. O método é simples, como a realização de um exame de sangue comum, não é preciso nenhum um tipo de preparo.

Importante: A associação do teste por PCR-RT com as sorologias aumenta a sensibilidade dos exames.

17. Os testes sorológicos oferecidos são os chamados testes rápidos?

Os testes sorológicos para COVID-19 realizados pelo LabHormon, uma empresa do Grupo São Marcos, não são testes rápidos. Nossos testes são automatizados e utilizam as metodologias ELISA e Quimiluminescência. Diferentemente dos testes rápidos, que utilizam a Imunocromatografia, os testes que oferecemos não podem ter as amostras analisadas fora do ambiente laboratorial. Testes com amostras processadas e analisadas em ambiente laboratorial estão sujeitos a regras de controle mais rígidas e apresentam desempenho analítico superior aos testes rápidos.

18. Quais são as metodologias empregadas nos testes sorológicos?

Os testes sorológicos para COVID-19 realizados são automatizados e utilizam as metodologias ELISA e Quimiluminescência. Nesses testes são detectadas até três classes de imunoglobulinas: IgA, IgM e IgG. As duas primeiras, produzidas pelo organismo nas fases iniciais da doença, iniciando sua detecção a partir do 7º dia, a última, posteriormente, sendo detectada com maior sensibilidade a partir do 14º dia após a infecção. Havendo suspeita clínica com resultado negativo na primeira semana, é aconselhável a solicitação de nova amostra, após 14º dia de sintomas ou contato. O resultado é liberado no dia seguinte à coleta.

19. A partir de quantos dias de infecção cada um dos exames oferecidos detectam o vírus?

RT-PCR: Apresenta melhor sensibilidade entre o 3º e 10º dias de infecção, podendo se manter detectável por períodos mais longos.

Sorologias IgA e IgM: Produzidas pelo organismo nas fases iniciais da doença, iniciando sua detecção a partir do 7º dia.

Sorologia IgG: detectada com maior sensibilidade a partir do 14º dia após a infecção.

20. Se eu estiver com o vírus, os exames oferecidos já detectam mesmo sem sintomas?

Para detecção do vírus, o exame indicado é o RT-PCR. Esse exame é capaz de detectar o vírus na amostra, mesmo que o paciente seja assintomático. O melhor período de coleta para a detecção do vírus é entre o 3º e o 10º dia de infecção.

21. Quais as indicações de cada um dos exames oferecidos pelo Grupo São Marcos?

RT-PCR: Destinado a pessoas com suspeita clínica de COVID-19 que apresentem sintomas gripais como: febre, tosse, dificuldade para respirar ou que tenham viajado para áreas com transmissão local/comunitária da doença ou ainda que tenham tido contato com outras pessoas com suspeita ou confirmação da doença 14 dias antes de começarem os seus sintomas.

Sorologia para COVID-19 (Anticorpos totais, IgM, IgA, IgG): O exame é indicado como auxiliar no diagnóstico de pessoas com suspeita de COVID-19 que estejam apresentando sintomas há pelo menos sete dias, ou para pessoas que desejam saber se foram expostas ao vírus em algum momento e como marcador de exposição populacional ao vírus.

22. Suspeito ter tido COVID há mais de 15 dias. Qual o exame mais indicado?

Caso não tenha sinais e sintomas há mais de 15 dias, os mais indicados são os exames de sorologia.

23. Quais os exames mais indicados como critério do retorno ao trabalho para pessoas afastadas?

O recomendado é: 3 dias sem sintomas, com dois testes PCR negativos com intervalo de 24h. Veja no esquema a seguir:

24. Quais os benefícios dos testes oferecidos?

O diagnóstico por PCR, permite a confirmação do caso, para comunicação à Vigilância sanitária, bem como determina de forma precisa quem deve realizar quarentena e isolamento. 

A Sorologia permite saber quem já teve contato com o vírus, e provavelmente (ainda é necessária confirmação) indica os indivíduos que já terão imunidade ao mesmo.

25. É necessário jejum ou algum preparo para realizar os testes?

Não. Não é necessário jejum ou outro tipo de preparo para a realização de nenhum dos dois tipos de testes – PCR-RT ou Sorologia.

26. Onde realizar os exames para a detecção da COVID-19?

O LabHormon, uma empresa do Grupo São Marcos, oferece, tanto o exame de Biologia Molecular (PCR), quanto os exames de Sorologia.

Biologia Molecular (RT-PCR em tempo real)

Em São Paulo, no Grande ABC, o exame pode ser realizado em 3 unidades do LabHormon (empresa do Grupo São Marcos).

Parque das Nações – Rua Oratório, 1356, Parque das Nações – Santo André

Matriz – Av. Dom Pedro II, 193, Jardim – Santo André

São Bernardo do Campo – Rua Príncipe Humberto, 79, Centro – São Bernardo do Campo

A coleta também pode ser feita na casa do paciente ou pelo serviço Drive-Thru, com atendimento sem a necessidade de sair do veículo. Nosso serviço de Drive-Thru está disponível no LabHormon Unidade Parque das Nações.

Importante: Para realização do exame por PCR-RT é necessário agendamento prévio. O resultado é entregue em até 3 dias úteis.

Sorologia

A coleta pode ser realizada em domicílio ou em qualquer uma de nossas unidades em funcionamento, na Região Metropolitana de São Paulo, no Grande ABC.

Importante: Para realização do exame não é necessário agendamento prévio. No entanto, o paciente deve ter apresentando sintomas há, no mínimo, 7 dias ou conforme orientação médica. A liberação do resultado é em até 1 dia útil, de acordo com cada tipo.

Consulte aqui o endereço das unidades LabHormon no ABC Paulista:

http://www.labhormon.com.br/nossas-unidades/

27. Quais os prazos de liberação dos resultados dos testes?

PCR-RT: Até 4 dias úteis. Fora o dia da coleta.

Sorologia ANTICORPOS IgG: 1 dia útil

Sorologia ANTICORPOS IgM/IgG: 1 dia útil

Sorologia ANTICORPOS TOTAIS IgA/IgM/IgG: 1 dia útil

28. Como adquirir os exames para diagnóstico da COVID-19?

O paciente pode adquirir os exames em qualquer uma de nossas unidades, Centrais de Atendimento (telefone ou WhatsApp) ou em nossa loja virtual.

Labhormon

Central de Atendimento: (11) 4433-3233  

WhatsApp: (11) 99353-2070

Loja Virtual: https://lojavirtual.labhormon.com.br

Endereços completos de nossas unidades: http://www.labhormon.com.br/nossas-unidades/

Sim! Além da compra na modalidade particular, os exames para detecção da COVID-19 também contam com a cobertura de diversos planos de saúde. Para a realização de exames por convênio médico, é necessária a apresentação de pedido médico.

Confira as coberturas por convênios:

Clique aqui e consulte quais convênios fazem a cobertura:

30. Meu exame deu positivo para COVID-19. O que fazer?

  • Consulte novamente seu médico;
  • Fique em isolamento domiciliar;
  • Utilize máscara o tempo todo;
  • Se for preciso cozinhar, use máscara de proteção, cobrindo boca e nariz todo o tempo;
  • Depois de usar o banheiro, nunca deixe de lavar as mãos com água e sabão e sempre limpe vaso, pia e demais superfícies com álcool ou água sanitária para desinfecção do ambiente;
  • Separe toalhas de banho, garfos, facas, colheres, copos e outros objetos apenas para seu uso;
  • O lixo produzido precisa ser separado e descartado;
  • Sofás e cadeiras também não podem ser compartilhados e precisam ser limpos frequentemente com água sanitária ou álcool 70%;
  • Mantenha a janela aberta para circulação de ar do ambiente usado para isolamento e a porta fechada, limpe a maçaneta frequentemente com álcool 70% ou água sanitária;
  • Caso o paciente não more sozinho, os demais moradores devem dormir em outro cômodo, longe da pessoa infectada, seguindo também as seguintes recomendações:
    • Manter a distância mínima de 1 metro entre o paciente e os demais moradores;
    • Limpar os móveis da casa frequentemente com água sanitária ou álcool 70%;
    • Se uma pessoa da casa tiver diagnóstico positivo, todos os moradores ficam em isolamento por 14 dias também;
    • Caso outro familiar da casa também inicie os sintomas leves, ele deve reiniciar o isolamento de 14 dias.

31. Quando procurar uma unidade de saúde?

A procura por unidades de saúde é indicada para casos graves, como febre alta, falta de ar e prostração. A recomendação atual é que pessoas com sintomas leves fiquem em casa. Para amenizar os sintomas podem ser utilizados medicamentos para dor e febre. O uso de anti-inflamatórios e aspirina não é recomendado.

32. É possível contrair o Novo Coronavírus mais de uma vez?

Segundo a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), como se trata de um novo vírus, e sobre o qual ainda aprendemos mais todos os dias, no momento, não podemos dizer com certeza absoluta que uma pessoa infectada com o vírus não pode se infectar novamente. Ainda não há comprovação científica de que o indivíduo desenvolve imunidade após ser infectado pelo vírus uma primeira vez. Nesse caso é preciso ficar atento a resultados chamados de falsos positivos, quando, no segundo teste, houver a detecção de anticorpos ainda da primeira infecção, e não de uma nova ocorrência.

33. Meu exame deu negativo. O que isso significa?

No caso de testes por PCR-RT, um resultado negativo significa que não foi detectado o Coronavírus em sua amostra. Entretanto, um único resultado negativo (não detectado) para SARS CoV 2 não exclui o diagnóstico da COVID 19. Alguns fatores como tempo decorrido entre a coleta e o início dos sintomas e e oscilação da carga viral podem influenciar o resultado do exame. Sempre que houver discordância com o quadro clínico epidemiológico, o exame de RT PCR deve ser repetido em outra amostra do trato respiratório. Como o intervalo de tempo para o pico dos níveis virais na COVID 19 ainda é desconhecido, o tempo ótimo para a coleta das amostras biológicas para o diagnóstico da infecção ainda não foi totalmente estabelecido. Estima-se que o melhor período de coleta é entre o 3º e o 10º dia de infecção. Portanto, eventualmente a coleta de múltiplas amostras, de locais e tempo diferentes durante a evolução da doença, pode ser necessária para o diagnóstico da COVID 19.

No caso de testes sorológicos, um resultado negativo significa que não foram encontrados anticorpos para o vírus que causa o COVID-19 em sua amostra. No entanto, é possível que este teste dê falso negativo mesmo em pessoas infectadas. Um resultado negativo pode ocorrer, se você for testado no início de sua doença e seu corpo não tiver tido tempo para produzir anticorpos contra a infecção. Se for esse o caso, o seu médico considerará, para seu diagnóstico, o resultado do teste juntamente com todos os outros aspectos do seu histórico clínico (como sintomas, possíveis exposições e localização geográfica dos lugares pelos quais você viajou recentemente). É importante que você colabore com seu médico com todas as informações solicitadas, para ajudá-lo a entender seu caso e definir os próximos passos na conduta médica.

34. Existem medicamentos que podem afetar o resultado dos testes?

Se você estiver severamente imunocomprometido, tomando medicação prescrita para supressão imunológica ou tomando corticosteroides inalados a longo prazo, talvez não consiga formar anticorpos de maneira previsível, comprometendo os resultados dos Testes Sorológicos. Já para os testes por PCR-RT, como há a detecção do vírus e não dos anticorpos, não há risco de alteração nos resultados por nenhuma medicação.

35. Quais os exames por imagem indicados para COVID-19?

A Tomografia Computadorizada de Tórax é o método de escolha para avaliar o comprometimento pulmonar por se tratar de um exame de alta sensibilidade e especificidade. Normalmente utilizado em pacientes internados, a Tomografia pode indicar que pessoas com suspeita epidemiológica e com padrão tomográfico típico da COVID-19 sejam consideradas suspeitas de infecção pelo Novo Coronavírus, mesmo com outros exames negativos.

Saiba mais sobre os testes oferecidos, suas diferenças, indicações e outras informações importantes no “Guia Rápido” que disponibilizamos. Clique aqui para acessar.


CURTA A LAB HORMON NO FACEBOOK »


Agência Digital